fbpx

Veja 4 dicas para começar a correr e não parar mais

Começar a correr é um grande desafio. Seja qual for sua motivação, os primeiros passos são sempre os mais difíceis. Falta fôlego, as pernas se cansam depressa e logo dá uma vontade de desistir de tudo e voltar para o sofá. E não é só durante o treino, não! No dia seguinte, temos a impressão de que as pernas não vão aguentar mais um passo sequer. O cansaço pesa e as dores costumam atingir o corpo todo.

Porém, como tudo passa, após um bom descanso estamos recuperados e partimos para a próxima sessão. E o ciclo se inicia novamente. E uma vez mais. Dessa forma, aos poucos, nosso corpo vai se adaptando ao stress e o treino vai ficando mais fácil (ou “menos difícil”).

Mas esse início pode ser menos traumático. Alguns ajustes podem ser feitos para evitar um abandono precoce e fazer com que o prazer ao treinar surja mais rápido do que se imagina. Por isso, separamos para você 4 dicas para começar a correr e não parar mais! Vamos conferir?

Quer começar a correr? Atenção ao volume de corrida

Para que os treinos de corrida não sejam um martírio, deve-se estar atento não apenas o volume total do treino, mas também o tempo de corrida contínua. Um corredor iniciante não pode começar seus primeiros passos na corrida com treinos muito desafiadores, ou correndo o tempo todo.

A ideia nesse começo é trabalhar proporções de 4 x 1. Dessa forma, o desgaste será muito menor e motivará o corredor a continuar, pois ele percebe que treinar não é um bicho de sete cabeças.

Alternar 1 minuto de corrida, mesmo que leve, com 1 minuto de caminhada, parece interessante num primeiro momento. Mas se pararmos para analisar, 50% do treino foi composto por um stress que seu corpo não está acostumado a receber.

Por isso essa relação 4 x 1 pode ser trabalhada. Um exemplo? 8 minutos de caminhada x 2 minutos de corrida. Esse períodos mais longos de caminhada com intervalos curtos de corrida vão adaptando gradualmente e permitirá que o corredor, a médio prazo, consiga correr por mais tempo. Sugerimos que o aluno permanceça entre 2 a 4 semanas nessa proporção, antes de se aventurar por estímulos mais desafiadores no treinamento de corrida.

A nova fase do tempo de corrida deve reduzir a proporção 1 vez a cada ciclo (exemplo: reduzir de 4 x 1 para 3 x 1, e assim por diante). Quando o tempo de corrida e caminhada se igualarem, você passa a aumentar a relação de corrida frente a caminhada até chegar aos mesmos 4 x 1. A partir daí, correr o tempo todo será apenas mais um passo natural.

A importância do descanso para correr melhor

A empolgação em começar a correr pode nos fazer ignorar os sinais do nosso corpo. Aquela dorzinha muscular persistente, o fôlego que a cada treino está faltando mais, pode ser sinal de que o corpo não está conseguindo se recuperar plenamente da atividade anterior (ou de uma sequência de atividades).

Por isso, a atenção à intensidade dos treinos deve ser constante. Evitar treinos extenuantes, mesmo que pareça ser a melhor opção para resultados mais rápidos, pode não ser boa ideia. Além disso, treinos em dias seguidos, ao menos para corredores iniciantes, também não são recomendáveis.

É sempre importante que, ao sentir muito cansaço não apenas para treinar, mas durante o dia, dê uma pausa. Tire um dia para descansar e equilibre corretamente sua planilha de treinos.

Cuide de sua alimentação nos treinos e dia a dia

A partir do momento em que começar a correr, seu corpo vai passar a exigir nutrientes que talvez você não esteja acostumado a consumir. Isso porque ele precisa de mais energia para restabelecer seu corpo e estar preparado para o próximo treino.

Então, que tal rever seu cardápio? Pode ser interessante e vai ajudar bastante no rendimento dos treinos! A orientação de uma nutricionista nesses casos sempre ajuda não apenas num acompanhamento mais personalizado, como também em ajustes mais práticos, rápidos e corretos.

Orientação Especializada

Sem dúvida ter um treinador para planejar e ajustar suas etapas de evolução será fundamental numa evolução com qualidade e sem lesões.

No início, é muito comum treinarmos apenas por percepção de esforço. Tentar correr o tempo todo e, ao sinal mais agudo de cansaço caminhar, é muito habitual. Porém, já num curto prazo, isso acaba sobrecarregando músculos e articulações. Por isso, nada de treinar por conta. Procure orientação especializada.

Essas são só algumas dicas que podem fazer a diferença e te dar prosperidade na corrida!

E você, já sabe como começar a correr? Está animado para os próximos passos? Não deixe de acompanhar também nossa dicas semanais.

4 Comentários
  • Andressa Fociatto
    Postado às 08:30h, 21 junho Responder

    eu nucna tinha pensando em correr, até que ganhei um tenis esportivo do meu irmão e decidi tentar.. desde então foi amor a primeira vista com a corrida. hoje ja consigo fazer 4km quero chegar a 10 ate o fim do ano!

    • Runplace
      Postado às 21:28h, 30 julho Responder

      Parabéns, Andressa! Esperamos que continue firme e forte nos treinos

  • Bruno Silva
    Postado às 09:19h, 22 julho Responder

    Muito bacana o seu artigo. Super completo e detalhado. Vou continuar acompanhando o blog.. Parabéns!

    • Runplace
      Postado às 21:27h, 30 julho Responder

      Obrigado, Bruno! Vamos continuar trabalhando para trazer informações para você

Fazer um comentário